Curta a nossa página
 
23/02 14h35 2021 Você está aqui: Home / Brasil Bianca Viana Imprimir postagem

Manhã em Teresina é marcada por protestos, bloqueios e buzinaços contra o decreto de Lockdown

Por causa da manifestação, o trânsito ficou lento e quem precisou se deslocar pela avenida João XXIII enfrentou dificuldades.

Teresina amanheceu sob protestos nesta terça-feira (23). O primeiro, dos motoristas de transporte por aplicativo, iniciou logo cedo na avenida Marechal Castelo Branco, que se manifestavam contra a falta de regulamentação da categoria, de segurança e pedem a redução do ICMS. Logo em seguida, foi a vez dos representantes do setor do comércio, bares e restaurantes, que reclamam contra as medidas restritivas anunciadas pelo governo do Estado para o combate da Covid-19.  

As categorias se concentraram no balão da ladeira do Uruguai e saíram em carreata pela avenida João XXIII. Durante a carreata, eles também realizaram um buzinaço para chamar atenção dos demais motoristas e da população para o movimento. Ao chegarem ao balão do São Cristóvão, os manifestantes fizeram o retorno, interrompendo o tráfego de veículos nos dois sentidos da via. Por causa da manifestação, o trânsito ficou lento e quem precisou se deslocar pela avenida João XXIII enfrentou dificuldades.

Ao meio-dia será a vez dos proprietários de escolas e pais de alunos, que devem paralisar a ponte Juscelino Kubitschek, em protesto contra a suspensão das aulas presenciais. Os pais alegam que a educação é essencial e as escolas estão obedecendo as exigências higienicossanitárias estabelecidas nos protocolos. 

Um novo decreto foi anunciado ontem(22), em reunião entre o governador Wellington Dias e o vice-prefeito de Teresina, Robert Rios, com suspensão das atividades não-essenciais por 12 dias, a partir das 00h desta quarta-feira(24), porém, até o momento, o documento não publicado no Diário Oficial. 

Pais fecham Avenida Frei Serafim e prometem levar filhos para assistir aula no Karnak

Pais de alunos de escolas da rede particular de Teresina e professores fecharam o trânsito na Avenida frei Serafim no início da tarde desta terça-feira (23), em protesto contra a possibilidade de restrições às aulas presenciais. Os manifestantes se concentraram na subida da Ponte Juscelino Kubitschek e interromperam o tráfego de veículos nos dois sentidos da via.

Com apoio de uma fanfarra, eles levaram cartazes e cadeiras escolares para chamar atenção dos teresinenses para a situação. A servidora pública Ilara Madeira, uma das organizadoras da manifestação, disse ao Cidadeverde.com que, caso não haja um recuo por parte do governo estadual, as manifestações devem continuar e os pais devem levar os filhos para um ato no Palácio de Karnak.

"Caso o governador não recue e não tire as escolas desse novo Lockdown, vamos fazer manifestações todos os dias, onde ele estiver, para que a gente possa garantir a volta para as escolas. Amanhã vamos levar as crianças para assistir aula lá no palácio de Karnak", disse.

Ilara Madeira também saiu em defesa das escolas e disse que todos os protocolos estão sendo cumpridos para evitar casos de contaminação pelo novo coronavírus.

"A gente sabe que as escolas estão seguras. Não houve contaminação ou surto de Covid dentro de nenhuma escola", argumentou.

Os manifestantes deixaram a avenida Frei Serafim pouco depois das 13h e o trânsito foi liberado nos dois sentidos da via.

Com buzinaço, motoristas de app bloqueiam trecho da Av. Marechal Castelo Branco

Motoristas de aplicativo bloquearam os dois sentidos da Avenida Marechal Castelo Branco, na altura da Câmara dos Vereadores de Teresina. Com os carros atravessados na pista e buzinaço, eles reinvindicam a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível, pedem por mais segurança e que sejam incluídos na vacinação contra a Covid-19. 

Da avenida, os motoristas prometem seguir pela Avenida Frei Serafim até ao Palácio do Karnak, sede do Governo do Piauí.  De acordo com os organizadores, pelo menos 3500 motoristas de aplicativo participam na paralisação nesta terça-feira(23), que tem como pautas principais a redução do preço dos combustíveis, melhores condições de segurança para a categoria, além de mudanças na regulamentação do serviço na capital.

"O objetivo da manifestação é chamar atenção da sociedade e do poder para diversos problemas que os motoristas de aplicativo sofrem todos os dias. Estamos sendo atingidos em cheio com o aumento dos combustíveis, que está inviabilizando o nosso trabalho. Temos também a questão pela desvalorização por parte das plataformas, temos também a regulamentação que ainda não foi concluída por parte da Câmera. Além disso, também estamos cobrando mais segurança, porque todos os dias motoristas são assaltados", explicou o motorista Roneibe Carvalho, membro da Comissão que organizou o movimento.

Ainda de acordo com a categoria, caso as revindicações não sejam atendidas e o diálogo não seja aberto, novas paralisações podem ser realizadas. "Quem vai dizer se esse movimento tem continuidade ou não é poder público", destacou Roneibe.

Entregadores de delivery também participam do movimento nesta manhã. O presidente da associação que representa a categoria, Júlio César Sousa, destacou a importância da união entre os trabalhadores para fortalecer as pautas.

"Essa manifestação estamos cobrando regularização, segurança e respeito das plataformas. Infelizmente, muitos trabalhadores estão sendo bloqueados de forma indevida. Precisamos ser reconhecidos como categoria", destacou.

Os representantes da comissão independente que organiza a manifestação entregaram um ofício a mesa diretora da Câmara Municipal solicitando que uma comissão seja recebida para dialogar com os motoristas.

O vereador Ismael Silva (PSD), vice-presidente da comissão de mobilidade da Casa, foi até a avenida e conversou com a categoria. Segundo ele, uma audiência vai ser viabilizada para tratar sobre as pautas apresentadas.

"É importante que haja esse diálogo com as categorias. Se nós temos que atender o interesse público, precisamos entender a categoria. O canal de diálogo já foi estabelecido", disse o vereador, que confirmou o diálogo com os representantes da categoria para a próxima quinta-feira.

Após realizarem um ato em frente à Câmara Municipal, os motoristas de aplicativo e entregadores seguiram em carreata em direção ao Palácio de Karnak, onde também vão buscar diálogo com representantes do governo do Estado.


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
lista mais

Artigos relacionados