Curta a nossa página
 
18/01 09h34 2022 Você está aqui: Home / Crônicas On-line AntonioJMS antoniojms@outlook.com.br

Cidadão-palhaço

Comprar é bom. Ruim mesmo é o estresse que se passa quando a compra dá errado e a empresa - depois que você pagou pelo produto - não lhe vê com os mesmos olhos...

A mulher compra um produto numa loja virtual e a compra vem com defeito. Ela liga para o Serviço de Atendimento ao Consumidor daquela loja. Inicia-se aí a saga heroica da cidadã brasileira.

- Bem-vindo à Virtual Net. Se quer saber sobre novos produtos, tecle 1. Se deseja realizar outras compras pelo telefone, tecle 3. Para renegociação de dívidas com a loja, tecle 5. Sugestões ou elogios sobre nossos serviços, tecle 7. Se deseja falar com um dos nossos atendentes, tecle 9.

A cidadã tecla a última opção.

- Aguarde. Estamos transferindo sua ligação.

Ela espera pelo direito do consumidor em ser atendido. Nesse ínterim, uma música toca durante o intervalo; depois de um minuto e meio, a musiquinha torna-se insuportável. Até que finalmente...

- Virtual Net, bom dia, em que posso ajudar?

            - É que eu comprei um produto na loja de vocês e ele não funciona.

            - Por favor, informe seu nome completo, número de CPF e do cartão de crédito utilizado na compra, endereço, telefone para contato e o nome do produto...

            A cidadã informa tudo. Mas...

            Qual o motivo do contato, senhora?

            O produto que comprei de vocês não funciona.̶̶

            A senhora derrubou o aparelho?

            ˗˗ Não, ele já veio com defeito.

            ˗˗ A senhora ligou o aparelho corretamente?

             Já disse, ele veio com defeito, não funciona, não liga de jeito nenhum.

            ̶  A senhora leu o manual de instruções para saber como manusear o aparelho?

            ̶  Eu já tenho um aparelho desses, sei como ligar e como ele funciona.

            ̶  Então a senhora deseja adquirir outro aparelho pela loja Virtual Net?

            ̶  Não. Nada disso. Quero meu dinheiro de volta.

            ̶ Desculpe senhora, esta solicitação é feita em outro setor. Vou transferi-la para o setor competente resolver seu caso.

             A transferência acontece. Toca-se a musiquinha chata amiúde. E mais alguns minutos de espera... Há tempo para a mulher quebrada de cansaço olhar o aparelho triste de fábrica. Ela imaginou que a compra pela internet fosse mais rápido. A consumidora também já passara por péssimas situações em lojas reais e não sabia que as lojas virtuais também herdaram os mesmos vícios.

 - Virtual Net, boa tarde, em que posso ajudar?

            A consumidora repete toda a história e as perguntas da atendente parecem as mesmas.

            - Eu só quero meu dinheiro de volta.

            - Lamento informar, mas não é filosofia da loja estornar valores de compra.

            - Que mané filosofia de loja! É direito do cliente ser ressarcido numa situação dessas ou vocês não respeitam o Código de Defesa do Consumidor?

            - Conhecemos o código, mas há também a política financeira da empresa a ser obedecida. Que tal trocarmos este produto que está com a senhora por outro produto em funcionamento?

            -...É o jeito, né, vocês não me dão muita escolha! Tudo bem, mas que a compra chegue no prazo estabelecido, que seja o produto da mesma marca e que esteja funcionando desta vez.

            - Espere um instante... Lamento informar: o produto que a senhora comprou estava em promoção-relâmpago e a promoção já acabou. O produto voltou ao preço de mercado e custará 400 reais a mais para a senhora. Qual é a melhor data de entrega de sua nova compra?

            - O quê?! Vocês estão loucos! Não vou querer mais nada disso!

            A atendente expõe mil desculpas para justificar o preço e ignora o queixume da cliente. A cidadã, consumidora, revoltada, olha pela última vez a compra em sua mão apertada. O aperto vira força, a força, raiva, a raiva vira ódio, e o ódio uma explosão de fúria.

...

            - A senhora está bem? Ouvi um barulho! Quis saber a atendente

            - Nada não, minha filha, fui eu que esbagacei o produto defeituoso de vocês aqui no chão de minha casa. Obrigada pelo desatendimento!

            - De nada, a Virtual Net agradece o contato. Boa noite.


  Tags:

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
lista mais

Artigos relacionados